Transformando dados digitais em informações estratégicas para sua instituição

por novembro 18, 2019Marketing

Em alguns poucos cliques temos acesso a praticamente tudo no mundo. Devido a isso, o desafio para as empresas é transformar dados disponíveis em informações estratégicas, que levem ao conhecimento refinado sobre o mercado, o seu produto e a respeito do seu cliente.

 

Nunca houve tanta facilidade e abundância de acesso a dados como hoje, graças à Revolução Digital. Atualmente, temos uma gama de dados que podem impactar o sucesso de vários negócios. Com as escolas, não é diferente.

Temos uma enormidade de dados disponíveis que podem trazer orientações importantes para sairmos do “achismo” e embasarmos nossas decisões. Destaco aqui as oportunidades de informações disponíveis a partir do seu site e mídias sociais.

GOOGLE ANALYTICS

Qual perfil e hábitos de quem visita o site da sua escola? Que dados você consegue extrair a partir dele? Para saber isso, a ferramenta mais usada é o Google Analytics, disponibilizada gratuitamente.

Com o Analytics, podemos rastrear e analisar visitantes de um site, descobrindo, por exemplo: as cidades de quem entrou em sua página; número de visitantes únicos; quais dias e horários de maior visitação; a origem da audiência para o seu site, se vieram por uma busca paga, orgânica ou por mídias sociais; se o usuário usou computador, tablet ou celular; quais as suas páginas mais populares; o tempo que o ele permaneceu no seu site; e até mesmo a taxa de rejeição, que mede a quantidade de visitantes que acessaram apenas uma página do seu site e não continuaram a navegação em outras páginas.

Trazendo para o mundo real, alguns casos que vivenciamos na agência de publicidade mostram como podem ser estratégicas as informações que estão no histórico de acesso ao seu site.

Um exemplo aconteceu quando analisamos o site de uma escola e detectamos uma grande quantidade de acessos de usuários oriundos de uma cidade vizinha. E mais: esses acessos de visitantes desse município eram principalmente para uma página específica do site, a que apresenta o serviço de horário integral da escola.

Após uma breve pesquisa, descobrimos que a maioria desses usuários trabalhava na cidade onde se situa a escola em questão, mas haviam se mudado para a cidade vizinha, devido a novas ofertas de empreendimentos imobiliários lá.  Além disso, a oferta de horário integral nessa cidade vizinha era deficitária. Com isso, passamos a trabalhar esforços de comunicação da escola também para cidade vizinha, focando principalmente na divulgação do integral.

Outro caso interessante foi de uma escola que iria finalizar um curso técnico por falta de interesse. No entanto, a página desse curso no site recebia muitas visitas. O que estava errado? Após contatos com alguns interessados que não concluíram as suas matrículas, a equipe da escola descobriu que o horário diurno do curso era um impeditivo para muitos.

Recentemente, uma diretora me questionou a respeito da validade de uma parceria que pensava em firmar com uma blogueira bem conhecida em sua região. “Será que vale a pena mesmo?”, questionava ela. A resposta foi: “o Analytics irá nos dizer”. É só passarmos para essa blogueira um link rastreável para ela divulgar, assim, saberemos o fluxo de pessoas vindas para o nosso site a partir do perfil dela.

 

FACEBOOK

Da mesma forma, o Facebook também nos fornece vários dados do público que visitou a página nessa mídia social. Além de acompanharmos a evolução das curtidas, sabemos um pouco do perfil do visitante: sexo, faixa etária, sua cidade de origem e quais as nossas publicações mais populares.

Descobrimos, ainda, o alcance, que é o número de pessoas que visualizaram nossas publicações. Também podemos saber o engajamento de nossas postagens, ou seja, a quantidade de pessoas se envolveram em nossos posts por meio de reações, comentários e compartilhamentos.

Em caso recente, um cliente se mostrou preocupado pois um concorrente tinha muito mais curtidas em seu perfil no Facebook que ele. Apesar disso, ao analisarmos o comparativo do engajamento das publicações, a do nosso cliente era muito superior, quase cinco vezes maior. Talvez esse concorrente tenha feito anúncios pagos para obter curtidas na página ou alguma ação promocional nesse sentido, mas o seu conteúdo não era relevante para o seu público. Já as postagens do nosso cliente levam a ações como comentários e compartilhamentos, mostrando que estamos no caminho certo em nossa programação de conteúdo, o que realmente importa na questão de fidelização e conquista de clientes, além de favorecer o efeito viral tão desejado.

Todos os dados que estão a um clique de distância precisam ser apurados, analisados, interpretados e inseridos em debates do grupo gestor da escola. Pode estar oculta, no histórico de acesso do nosso site e mídias sociais, a confirmação da qual sua escola precisa para direcionar investimentos, para apoiar a decisão de abrir de novos cursos, informações da concorrência e até para direcionar projetos educacionais. Se como diz o provérbio: “informação é poder”, apodere-se do que os seus canais digitais revelam hoje, isso pode fazer toda a diferença para sua instituição.

Leonardo Ribeiro de Oliveira
Especialista em marketing / Prospecta Educacional
Artigo – Revista Veredas Educacionais – Out/19