Sistemas que viabilizam o ensino remoto

por novembro 20, 2020Educação, Inovação, Marketing

Com o desafio de levar o ensino até o aluno, escolas utilizam diversas soluções para o desenvolvimento de um ambiente virtual de aprendizagem, nem todas com a mesma praticidade. Quais os cuidados na hora de implantar esse sistema em sua instituição?

 

A pandemia, e a consequente necessidade do isolamento e distanciamento social, colocou uma série de desafios para a educação brasileira. Nesse contexto, a tecnologia foi a resposta para que a distância física não trouxesse prejuízos para o ano escolar.
Se, segundo a Pesquisa da Pesquisa TIC Educação 2019, 64% das particulares urbanas tinham acesso a ambientes virtuais de aprendizagem no ano passado, é certo que esse número teve um aumento significativo no contexto atual.

AVA: como escolher um bom sistema?

Nesse sentido, os Ambientes Virtuais de Aprendizagem (AVA) passaram a ser um ambiente frequentado diariamente, por horas a fio. Se antes eram um plus, hoje, são essenciais.
Por esse motivo, é importante saber escolher o melhor sistema/software. Um bom sistema de AVA pode, inclusive, aumentar o engajamento dos alunos no processo de aprendizagem.
Para Braz Antonio Pertel, gerente de tecnologia e idealizador do sistema de gestão Pincel Atômico, é ímpar que o sistema/software seja intuitivo. Além disso, dois pontos mencionados foram o conteúdo e a linguagem visual e seus recursos.

“Além de ser intuitivo, o conteúdo presente no ambiente é outra característica que ajuda muito ao usuário. O usuário, ao acessar o ava, deve encontrar conteúdo que o interesse. Ademais, a linguagem visual, principalmente, deve ser atrativa, com recursos gráficos, usando bem as cores, fontes, tamanhos de fontes etc – isso tudo tende a contribuir muito a deixar o ambiente atrativo”, enumerou.
Para isso, Braz menciona a importância de que o sistema tenha uma boa linguagem de programação, uma vez que, embora seja invisível aos usuários do sistema, ela tem reflexo na experiência de uso.
“Todo sistema mau programado pode demonstrar mais lentidão – e isso implica também em uma certa rejeição do usuário. Ao contrário, um código bem elaborados cria sistemas rápidos, instantâneos – e principalmente quando o usuário tem um acesso ruim à internet”, explicou.

Requisitos

Os requisitos para implantar uma tecnologia AVA na escola se encerram em ter acesso à internet nos ambientes onde os sistemas serão usados.
“Basicamente, se o AVA funcionar na internet, ou seja, ser um sistema web, essa escola e esses alunos apenas precisarão ter conexão à internet – ainda que esta seja razoável, o sistema deve rodar bem”, apontou Braz.

Educadores no sistema

Braz defendeu que não há grandes dificuldades para inserir os educadores nesse ambiente virtual de aprendizagem já que, possivelmente, estes já façam uso de algum tipo de ambiente, seja mais limitado, ou não; web, ou não.
“Esse professor não tem, em princípio, uma grande dificuldade no acesso a um novo ambiente, porque o novo sistema deve ser melhor do que ele usa: mais intuitivo, mais moderno, com processamento maior etc. Logo, não deve requerer um grande treinamento”, explicou.

Alunos mais engajados

Braz finalizou dizendo que um sistema AVA moderno, com aplicativos de interação, pode favorecer o engajamento dos alunos no processo de ensino-aprendizagem.
“Os alunos, principalmente mais jovens, já estão acostumados à interação no meio digital, uma vez que fazem isso o tempo inteiro, com aplicativos, redes sociais e jogos. Esse usuário está naturalmente preparado para essa interação online. Logo, um sistema que tenha esse recurso tende a ter um uso mais natural de todos os seus recursos, o que certamente aproxima o aluno – por ele estar fazendo o que já faz no seu dia a dia de uma outra maneira. Dessa forma, todos ganham com um bom sistema”, complementou.

 

Sistema Pincel Atômico:
(27) 3010 5151
sistema@pincelatomico.com.br
www.pincelatomico.com.br

 

Revista Veredas Educacionais – outubro/ 2020

Deixe um comentário