O uso da tecnologia 4.0 para a continuidade das escolas

por janeiro 13, 2020Educação, Inovação

A crescente evolução tecnológica traz enormes benefícios tanto no que tange às ferramentas pedagógicas utilizadas quanto à gestão da sua instituição.

www.revistaveredas.com.br

Você já ouviu falar de Educação 4.0? Se você meneou sua cabeça concordando comigo, excelente. Do contrário, saiba que o termo não é mais novidade e sua presença se mostra por meio da crescente evolução tecnológica das ferramentas pedagógicas utilizadas dentro e fora da sala de aula.

A Internet das Coisas (IoT) e a Inteligência Artificial, por exemplo, são alguns dos benefícios ao alcance de alunos e professores. No entanto, para que tudo isso funcione de maneira estratégica, uma palavra mágica precisa existir em sua escola: a Governança.

 

Governança

O primeiro registro que sugere o uso da governança está ligado ao filósofo Platão, no ápice do império grego. Anos depois, na pós-modernidade, o famoso substantivo ressurgiu no final da década de 1990 e estava associado ao boom computacional.

Hoje, a governança é ingrediente básico para a sobrevivência de empresas dos mais variados segmentos, o que inclui instituições de educação básica e ensino superior.

 

Mas como isso funciona?           

O livro de Eclesiastes (3:1-8) traz uma detalhada reflexão sobre o uso do tempo. Considerando que passado, presente e futuro fazem parte desse enredo, é fato que o modelo tradicional de gestão escolar está com os dias contados.

 

Nesse contexto, chegamos ao momento de rever os conceitos de administração e do posicionamento de sua empresa em um cenário cada vez mais competitivo.

A criação de uma Matriz de Risco e a análise Balance ScoreCard (BSC) são alguns dos termos contemplados pela governança.

Seu funcionamento abrange, por exemplo, o estudo detalhado do funcionamento da escola, a gestão dos projetos acadêmicos e a visão de uma variedade de dados que auxiliam estrategicamente nas tomadas de decisão.

De acordo com Fábio Varricchio, CEO da SENSR.IT, “a governança ajuda escolas a alcançarem os melhores objetivos por meio da Tecnologia da Informação.”

Pensando nisso, Fábio e sua equipe criaram uma plataforma estratégica que reúne a gestão de demandas, risco e compliance, disponibilidade, contratos e fornecedores, projetos ágeis, Balanced Scorecard e CIO Cockpit para uma visão gerencial dos processos de TI, apoiando, inclusive, a adequação das instituições de ensino a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) – vinculada ao Marco Civil da Internet – que fornece diretrizes de como os dados pessoais dos cidadãos podem ser coletados e tratados conforme a legislação.

Ainda segundo Fábio, “a plataforma foi desenvolvida pensando em ajudar os clientes, independente do tamanho e número de alunos da instituição de ensino, podendo ser implementada de forma gradual e investimento acessível.”

 

A solução ajudará a aumentar o nível de maturidade, reduzir custos e organizar processos de TI – itens fundamentais para o avanço tecnológico das instituições de ensino.

 

Escolas confessionais

Nas escolas confessionais, a percepção de mudança precisa ser redobrada e transcende os conhecimentos adquiridos na vivência que, em certos casos, podem dar origem a expressões do tipo “sempre fizemos assim” entre a Alta Direção e liderados. Os efeitos da governança precisam estar alinhados ao conjunto de valores que rege o DNA organizacional.

Talvez você esteja perplexo com a dimensão que a nova era administrativa exige para a sua escola, mas saiba que existem recursos ao seu alcance para que a mudança comece agora. Inovação já não é mais um diferencial, mas uma questão de permanência no mercado. A indústria do 4.0 veio para ficar e, sem sombra de dúvidas, ganhará ainda mais força e apontará necessidades antes não observadas pelos gestores. O tempo não para.

 

Diego Nascimento

Jornalista corporativo, palestrante e consultor.

Mais em www.diegonascimento.com.br