Missão, Cultura e Liderança

por outubro 23, 2018Educação

O sentimento e oportunidade de missão das instituições cristãs é algo poderoso, pois nos faz mais próximos do Senhor da missão e mais dependente deles para levarmos adiante o nosso empreendimento.

Quando pensamos nas famílias brasileiras, incluindo as famílias cristãs, vemos o descaso de alguns pais em buscar uma melhor educação para os filhos. Sabemos que a maioria dos pais não podem pagar por essa educação, mas outros que preferem um carro mais caro, um apartamento maior do que investir em seus próprios filhos. Um sinal disso é quando vemos pais que deixam os seus filhos em escolas públicas dirigindo um carro do ano. Pena que isso aconteça também com pais cristãos, que preferem a ostentação a educar os seus filhos da melhor forma possível.

Existe também o descrédito de muitos cristãos em relação as escolas cristãs. Muitos preferem escolas com tradição de aprovação em vestibulares, outros preferem escolas que dão status social do que colocarem os seus filhos em escolas que se preocupam com a formação do caráter através dos ensinamentos bíblicos.

A percepção de alguns pais e de pais cristãos diminui a possibilidade de matrículas em nossas escolas e possibilidade do cumprimento de nossa missão. Mas, como podemos melhorar esse cenário para aumentar o público das escolas cristãs?

Em primeiro lugar, é necessário implantar uma cultura organizacional direcionada as demandas que a escola apresenta. Quando avaliamos se estamos implantando uma gestão e cultura organizacional adequadas, podemos concluir que precisamos de efetivar mudanças estratégicas na escola. Nesse sentido, algumas questões devem ser pensadas.

 – A importância de um modelo pedagógico assertivo e funcional. Muitas vezes trabalhamos em nossas escolas modelos pedagógicos tradicionais ou modelos de escolas pedagógicas mais simpáticas a nossa visão de mundo. É importante avaliarmos periodicamente quais resultados o modelo pedagógico adotado está proporcionando a escola, como a aprendizagem dos alunos, os resultados em vestibulares e a satisfação das famílias. Nesse processo de avaliação, devemos incluir o material didático utilizado pela escola.

– A necessidade dos alunos. Quais são as maiores necessidades dos alunos de sua instituição? Qual é o perfil que eles apresentam? Essas questões precisam ser frutos de avaliação por parte de sua equipe pedagógica, que devem também pensar nas soluções que serão dadas a essas necessidades.

– Integração bíblica. Outra questão que deve ser verificada é a forma como fazemos a integração dos ensinamentos bíblicos com os conteúdos curriculares e como a equipe pedagógica e docente se insere nessa integração.

 Em segundo lugar, é fundamental a relação visão e liderança da instituição.

– O acerto na escolha do gestor. Ter a pessoa certa para o cargo certo é fundamental para a gestão da instituição funcionar corretamente. Nesse sentido, é importante que o gestor se prepare para exercer a sua função através de cursos nas diversas áreas da gestão e educação.

– Planejamento estratégico. É uma ferramenta importante para qualquer empreendimento. A instituição precisa se conhecer e saber onde quer chegar.

– Fidelidade ao cumprimento da missão. O líder de uma instituição cristã precisa conhecer bem a missão principal da escola e ser fiel a essa missão.

– Visão para tempos de mudança. O gestor precisa liderar a sua equipe para desenvolver com uma visão correta do que é necessário para gerir bem a instituição. O que é necessário muitas vezes pode significar mudanças que são difíceis de implantar.

Referência

What Lessons can a Christian School Learn from J. C. Penney? Disponível em: https://www.barrettmosbacker.com/home/jydjmhk8nh6gtk5y3eebnxnr7ngz5k. Acesso em 08 de fevereiro de 2018.