Desafios e Oportunidades da Retenção

por setembro 26, 2017Educação, Inovação, Retenção

Existe um fluxo que o aluno percorre até a sua colação: O aluno é captado pelo Marketing da IES, faz a sua matrícula, estuda os dois primeiros semestres, segue com o seu desenvolvimento através dos períodos e vai até a conclusão do curso.

A saída do aluno da faculdade pode acontecer a qualquer momento, a partir da sua matrícula, sendo o período mais crítico o primeiro ano, quando a sua falta de base pode ser confrontada com as exigências do ensino superior ou as suas expectativas não são atendidas ou mesmo porque o seu planejamento para pagar as mensalidades não saiu como ele esperava. Vencidos os dois primeiros semestres, as possibilidades de evasão diminuem, porque o sentimento de perda vai ficando maior.

Neste caminho percorrido pelo aluno, existem algumas questões, que são fundamentais para o gestor responder e entender os desafios e oportunidades que a instituição tem para trabalhar a continuidade de seus alunos.

1. Qual é o perfil de alunos que a minha IES capta?

A sua IES tem por costume traçar um perfil do ingressante, fazendo semestralmente uma investigação inicial com os alunos?

Por que isso é importante?
Os pontos de informação sobre o aluno, como a sua situação sócio econômica, se estudou em escola pública ou privada, o seu rendimento durante o ensino médio, idade, estado civil, se já tem curso superior ou mesmo se os pais cursaram ou não uma faculdade, assim como diversos outros fatores, permitem entender se o aluno já apresenta fatores de risco, que podem leva-lo a evasão.

2. Como é o meu processo de matrícula? Alguém pensa em Retenção?

O processo de matrícula em sua instituição é voltado para retenção do aluno? Você pode estar se perguntando: por que eu já vou pensar em retenção, quando o aluno está fazendo a sua matrícula? Será que não está cedo demais para isso?

É importante levantarmos alguns pontos do processo de matrícula para entendermos as razões que eles levam a retenção.
– O tipo de atendimento que é prestado no balcão de matrícula.
– Se o processo de matrícula pode ser feito online e se o sistema é amigável.
– A comunicação durante o processo de matrícula: se as principais informações sobre a matrícula, as aulas, funcionamento da IES e outros tipos de informação são devidamente disponibilizadas no momento do atendimento ao aluno, seja presencial ou virtual.

Vejam que um atendimento bem prestado em relação a pessoal, sistema e comunicação previne atritos. Mais do que uma matrícula funcionar bem, o novo aluno tem que ser bem recebido, se sentir acolhido, mais ainda, a sua entrada precisa ser festejada.

3. O que ofereço para o meu aluno ingressante? 5 questões que fazem diferença.

– O que a sua instituição oferece para os alunos do primeiro período?
– Existe um trabalho diferenciado para os dois primeiros períodos?
– Como é a recepção do ingressante, a comunicação, orientação, nivelamento e apoio?
– O tipo de ensino e avaliação é o mesmo em todos os períodos?
– Os professores desses períodos são os mais dinâmicos da faculdade?

As respostas para essas e outras perguntas determinam o tipo de trabalho que é feito com o aluno ingressante e se isso contribui ou não para retenção dele.

4. Como é a satisfação do meu aluno?

Como é a integração dos meus alunos com os colegas, com os professores e funcionários e com a minha instituição?

Muitas instituições limitam as pesquisas com os alunos ou não aproveitam os dados levantados pela CPA. Nestas instituições as medidas de satisfação são tabus, porque os gestores não querem “colocar o dedo na ferida”. Felizmente ou infelizmente a ferida só vai ser curada se for tratada, isto é, os motivos de insatisfação dos alunos existem e continuam lá, passando de período para período.
A retenção de alunos tem uma ligação direta com a satisfação deles. Retenção, em grande parte, é marketing de relacionamento, é a satisfação do cliente.

Outro ponto muito importante neste contexto é a integração entre os alunos e entre eles e os professores e funcionários.
A IES deve prestar a atenção nesta integração social com o desenvolvimento de projetos e eventos para melhorar e aumentar o relacionamento entre os diversos atores acadêmicos. O sentimento de pertencimento do aluno é fundamental para o processo de continuidade do seu curso.

5. Qual é a importância que damos a formatura?

Existem diretores e coordenadores que encaram as colações de grau da faculdade como uma obrigação.
“É sempre a mesma coisa todo o semestre”.

Em sua faculdade, quem organiza a formatura, é o acadêmico, o administrativo ou o marketing?
Deu para captar a diferença?
A colação de grau deve ser uma festa. Mesmo com o protocolo de determinados momentos, ela deve ser programada para o aluno festejar juntamente com a sua família.
A formatura deve ser um evento único, chamativo, para que os outros alunos tenham forte expectativa de chegar sua a vez.

6. Como a minha instituição trabalha com os Egressos?

Outra questão que deve ser levantada pela IES é sobre o trabalho com os egressos. A forma de lidar com eles, de atrai-los e de usá-los como marketing fará diferença na imagem da instituição.

O egresso que foi um aluno engajado com os estudos e que mantém um vínculo com a IES será sempre instrumento de propaganda dentro e fora do campus. A IES deve utilizar também os depoimentos dos seus ex-alunos principalmente os bem sucedidos para motivar os alunos em curso.